O seu conteúdo literário preferido na tela do seu computador!
 
Página Inicial - Aventuradeler.com

A que viemos

Aventura de ler

Sala de aula

Livros

Transversais

Contos

Crônicas

Poesias

Biografias

Assim falou

QuizArte

Cinema

Colunas

Bibliografia


Crônicas

Shakespeare Apaixonado

Uma mulher mais bela do que a minha amada! O sol, que tudo vê, nunca viu outra semelhante desde a aurora dos tempos!
Era de Julieta que Romeu falava? Não: de Rosalina. Algumas horas mais tarde, assim ele exalta o objeto de seu desejo: Porventura meu coração amou até agora? Jurai que não, meus olhos! Porque até esta noite jamais conheci a verdadeira beleza.
Essa é Rosalina? Não: Julieta. Ele acabava de conhecê-la.


No filme Shakespeare Apaixonado desenvolvem-se dois enredos paralelos: a história de Shakespeare se apaixonando, e nesse amor encontrando inspiração para escrever o amor de Romeu e Julieta.

Construir uma peça dentro de um filme é um recurso interessante, mas não representa exatamente uma novidade: o próprio Shakespeare se utilizou desse artifício, colocando uma peça dentro de outra peça (em Hamlet, por exemplo).

Shakespeare Apaixonado, que todo o mundo deve ter visto, levou em 1999 nada menos que 5 Oscars, inclusive o de melhor filme e melhor atriz. Gwyneth Paltrow faz a personagem Viola, uma jovem rica, apaixonada pelo teatro, e pela qual Will (Shakespeare) se apaixona. Só para refrescar a memória: Viola ama tanto o teatro que se disfarça de rapaz para conseguir fazer um papel na peça de William. Vale lembrar que, nessa época, denominada com justiça Era Elisabetana, o teatro constituía uma atraente diversão para o povo em geral - mas representar era algo totalmente proibido às mulheres, sendo os papéis femininos interpretados por rapazes transvestidos de mulher.

O diretor John Madden mostra que, mais que musa e amada de Will, Viola é uma personagem paralela à da rainha Elisabeth, havendo vários pontos comuns entre as elas: a renúncia ao amor em nome do dever e da posição social, a paixão e o devotamento ao Teatro - e o desempenho de trabalhos masculinos: a rainha dando ao reino inglês a hegemonia que nunca tivera antes, Viola, salvando simbolicamente o Teatro e a Arte, Pois, ao representar o papel de Romeu, torna possível a apresentação da peça. As duas: mulheres à frente de seu tempo - cultas, inteligentes, arrojadas. Essas afinidades explicam porque a rainha protege a jovem Viola que transgredira um tabu ao subir no palco e representar um papel. Ironicamente, o papel de Romeu - ela transvestida de rapaz. Madden coloca na boca de Elisabeth as palavras: Eu sei o que significa para uma mulher exercer a tarefa de um homem.

O final do filme remete para outra peça de Shakespeare, uma comédia, em que a personagem principal é uma jovem chamada... Viola - a qual, depois de um naufrágio (a idéia da amada de Will num navio, indo para o Novo Mundo...), chega a uma terra desconhecida onde, para se proteger de possíveis assédios, se disfarça de rapaz.

O nome dessa comédia é Noite de Reis ou O que quiserdes. Esse título não possui nenhuma relação com o enredo. Chamou-se assim porque a primeira apresentação da peça se deu na décima segunda noite após o Natal, ou seja, na Epifania, também chamada Dia de Reis.

* Romeu e Julieta, Hamlet e outras peças de Shakespeare estão disponíveis gratuitamente no site www.cultvox.com.br

Todos os conteúdos deste site estão registrados. Maura Maciel. - Todos os direitos reservados © 2010 - Desenvolvido por Anselmo Pereira