O seu conteúdo literário preferido na tela do seu computador!
Página Inicial - Aventuradeler.com

A que viemos

Aventura de ler

Sala de aula

Livros

Transversais

Contos

Crônicas

Poesias

Biografias

Assim falou

QuizArte

Cinema

Colunas

Bibliografia



Assim Falou

Cassiano Ricardo

Na década de 70, da Guerra Fria e da ameaça nuclear, da automação e da cibernética, dos satélites espaciais e do homem na Lua, a poesia de Cassiano Ricardo, liricamente concreta e comovidamente irônica, era a voz que com mais precisão expressava o nosso desalento e a nossa esperança.
Por um lado, o medo de um mundo em que ferozmente se digladiavam os monstros Gog e Magog. Por outro lado, a sensação de impotência do "inocente por falta de culpa, / culpado pelo que não fez."
Hoje, neste começo de abril de 2003, o momento é oportuno - é mais que oportuno, creio eu - para reler Cassiano Ricardo, o que falou Cassiano Ricardo relembrando as "Lamentações de Jeremias" em seu livro Jeremias sem-chorar.


A seca,
lacrimossedenta,
bebeu meu poço.
E agora?

A lágrima é ridícula.
Um homem não chora.

><><


No enterro
de cada minuto
pergunto;
quem morreu
em mim?

><><

Mas as injustiças,
as fomes, as sedes,
que habitam o mapa
das nações unidas
poderão ser resolvidas
azul-mente
ou com o céu de todos?

><><

O terrorista não será, porventura,
um aterrorizado?

><><

Como escolher, entre Magog e Gog
quem jogue a primeira pedra
se, AUTOMATICAMENTE, o homicida
é um suicida?

><><

Jeremias - medito:

É hora de reunir os bichos
ou de fugir para o Egito?

><><

O aterrorizado não chora.

><><
Mas quem não chora
é apenas um pássaro
que não canta.

><><

A toda hora,
abre-se o jornal, ouve-se rádio
e os monstros da fábula ressuscitam
de susto.

><><

Vi a morte de hoje;
A morte demente,
em que cada homicida
é, automaticamente,
um suicida.

><><

Onde jaz a palavra paz?
Ó paz, onde estás?


Leia mais sobre Cassiano Ricardo em Literatura e Poesia


 

Todos os conteúdos deste site estão registrados. Maura Maciel. - Todos os direitos reservados © 2010 - Desenvolvido por Anselmo Pereira